[ editar artigo]

Será que a Gleisi pirou?

Será que a Gleisi pirou?

Será que a Gleisi pirou? Um vídeo foi produzido e divulgado hoje com Gleisi Lula Hoffmann falando sobre seu ponto de vista para a televisão Al Jazeera foi o fato que bateu a carteira no quesito atenção pela mídia, antes sobre Maluf.

Enquanto a defesa de Maluf declara demência para pedir pena alternativa, Gleisi quer exercitar o comportamento abrindo diálogo com o mundo árabe. Aí que eu não entendi mesmo!

A Veja.com relatou que este vídeo viralizou na nuvem do WhatsApp, mas em pouco tempo a mídia estava em todos os lugares. Isso porque a grande maioria das pessoas que tenho contato estavam indignadas com o posicionamento de Gleisi frente ao caso emblemático da prisão de Lula.

Ainda na vibe maluca, Gleisi em tribuna praguejou sobre o suposto golpe  e estado de exceção que o PT diz ser vítima. 

Neste vídeo, Gleisi responde às críticas sobre sua entrevista dada à rede Al Jazzera. A senadora paranaense defendeu o direito de falar com a televisão sem a carga de preconceito que diz identificar nas críticas dos colegas políticos, da mídia em geral e dos compartilhamentos na internet. Gleisi ainda atacou diretamente a Globo na repetição do discurso que fez nas lentes das câmeras árabes.

O contraponto das declarações de Gleisi foi materializada no discurso de Ana Amélia hoje no senado.

O que há por trás deste movimento político?

Gleisi, ao abrir este canal de interlocução perante a nação árabe estrangeira, deixou claro que pode estar disposta a pagar qualquer preço em busca da defesa de seu ponto de vista. O perigo desta atitude está naquilo que fica implícito no discurso claramente passional da presidente do PT.

Ou uma coisa ou outra. Ou Gleisi está com dificuldades de encontrar canais de comunicação que lhe deem facilidade na divulgação de seus argumentos, ou Gleisi está convocando um perfil de apoio pouco ortodoxo no cenário brasileiro.

Ela que tantas vezes se fez valer de expressões contundentes ao calor das emoções em seus discursos nos palanques, precisou do apoio de seus amigos para resgatar a coerência de se cargo político.

O que vem depois desta declaração de Gleisi pode não ser agradável para qualquer pessoa. Isso porque quando um dos lados antagonistas deste eterna polarização sobe a temperatura de suas atitudes, o outro responde com a mesma ignorância ou até em grau pior.

Outro ponto de vista bastante interessante foi dado no canal Terça Livre por Allan dos Santos, criando um discurso associativo entre o PT e o Estado Islâmico.

Mesmo que eu acredite ser fantasioso este ponto de vista, estaremos à mercê de uma nova realidade na sociedade brasileira com projeções sociais e comportamento político antes nunca imaginado no país.

O fato é que o extremismo destas atitudes de Gleisi estão lembrando demais atitudes extremas dos grupos terroristas. Além disso, pouco constrói um Estado de Direito, mesmo que contrariado, buscando a tal justiça que dizem ser vítimas. Uma coisa está evidente, Gleisi parece uma pessoa desesperada em qualquer ambiente de debate e discussão.

Não sei ao certo no que acreditar, até porque só saberemos a verdade no desenrolar do tempo. Uma coisa eu sei. Gleisi dorme confortavelmente em seu apartamento de luxo no bairro do Água Verde em Curitiba, enquanto os manifestantes do acampamento Lula Livre comem em latinhas, dormem em panos e se protegem do sereno curitibano em telhados de sacos pretos. Assim fica fácil ser extremista, não é mesmo?

O silêncio dos inocentes

Um ponto quero chamar atenção. Um dia depois de Aécio Neves se tornar réu e ser um alvo fácil para o discurso petista, ninguém tocou no assunto. Como assim, Gleisi?

Nada foi comentado a respeito da aceitação do STF sobre a denúncia do tucano. Isso pode também dar uma pista sobre outra pirada de Gleisi. Afinal de contas, era um prato feito para as críticas petistas. Todos eles poderiam alegar que sempre tiveram com a razão quando acusavam Aécio de não ter reputação e fazer parte do suposto golpe.

Agora Aécio traiu até os membros do suposto golpe. Era ele o maior beneficiário. Agora quem é que pode assumir o posto de herdeiro do golpe? Fico confuso em entender a referência de Gleisi quando ela diz que eles foram os responsáveis pela prisão e perseguição a Lula. Quem são eles? Eu tinha a convicção que eles (o PT) estavam se referindo a eles (PSDB) na figura dele (Aécio) golpista articulado com ele (Cunha) e ele (Temer). O problema é que quando ele (Cunha) foi preso, fiquei com a impressão que a expressão usada por eles (PT) significava se tratar deles (Globo), que não tinha nada a ver com o assunto, pelo menos à princípio. Desisti de entender quem era ele ou eles cuja presença vive sendo evocada nos palanques petistas.

Estado Cidadão
Rafael Cardoso
Rafael Cardoso Seguir

Um cidadão que deixou de ser passivo para trazer luz e ambiente à discussão social e político.

Ler conteúdo completo
Indicados para você