[ editar artigo]

Essa é a minha opinião - Você já ouviu isso?

Essa é a minha opinião - Você já ouviu isso?

Opinião é seu direito mesmo? Já parou pra pensar que esse tipo de frase está sempre presente nos discursos contraditórios? Até que ponto essa é mesmo a sua opinião? Aqui vamos explorar essa expressão como exercício de reforço sobre um argumento frágil. Entenda o porquê aqui.

Opinião é o sinônimo para ponto de vista, ou seja, posicionamento  de afinidade sobre determinado tema, ideia, processo, ideologia, crença, intenção, objeto, ato ou qualquer outra coisa que seja de caráter de escolha do indivíduo.

Tendo o esclarecimento sobre o significado da palavra, vale a pena entendermos como essa expressão bastante difundida nos discursos e retóricas, que pontuam a defesa de determinado ponto de vista.


— Essa é a minha opinião!

Você já usou essa expressão? Acredito que sim. Até porque, caso você seja uma pessoa interessada em política, provavelmente, tenha também passado por algum debate sobre opiniões diversas.

Aliás, hoje em dia, parece que todos precisam ter opinião sobre tudo. No entanto, essa necessidade de opinar, às vezes, parece ser mais um posicionamento de inserção social do que, meramente, uma vontade significativa para o interlocutor.

Quando as pessoas precisam opinar, elas acabam se sentindo expostas. Principalmente, quando estamos debatendo sobre temas polêmicos ou de compreensão sobre a existência conflituosa dos indivíduos envolvidos no debate.

Dentro do programa Papo de Segunda, veiculado pela GNT, com Fábio PorchatEmicidaChico Bosco e João Vicente, Luciano Huck estava debatendo alguns temas relativos à política. Em determinado momento, confrontado sobre o processo de esclarecimentos sobre estado laico ou estado religioso, ele proveriu a mensagem: — Essa é a minha opinião.


Será que opinião foi feita para se divulgar?

A opinião, segundo o direito constitucional do cidadão brasileiro, é assegurada como liberdade de expressão. Caso esse posicionamento esteja associado a algum ato de debate, seja social, particular, coletivo, individual, público ou privado, deve atender sempre aos princípios de respeito e tolerância sobre o contraditório.

A opinião, desde que fundamentada sobre os princípios éticos, morais, sem ferir preceitos universais da coletividade sobre respeito, valor e direitos de expressão, tem seu valor como estímulo a alguém para a persuasão.

Eu entendo que este tipo de discurso seja, até certo ponto, confuso. Certamente, discutir processos retóricos são bastante delicados por estarem no campo abstrato do discurso e da comunicação.

No entanto, vale a pena trazer à tona este debate para dar caminho a algo que está bastante questionado nos dias de turbulência política.

Agora, o que precisamos compreender também, dentro do processo de discurso, é a necessidade mesmo de divulgar a opinião.


Opinião não é posicionamento técnico

Existem pessoas que usam de forma equivocada a sua capacidade de opinar sobre parâmetros técnicos. Exemplo disso são as opiniões em processos judiciais.

O caso do ex-presidente Lula, condenado pela Lava Jato por corrupção, levanta muitas opiniões na sociedade, mas o que vale mesmo é o posicionamento técnico de quem tem a missão de julgar.

Outro caso sobre opinião que se distancia de um posicionamento técnico é a polêmica sobre o direito de emitir indulto de Natal pelo presidente da república.

E, recentemente, Joice Hasselmann emitiu opiniões fortes sobre Eduardo Bolsonaro em grupo de WhattsApp do PSL.

Opinião é também uma vontade de persuadir

Quem estabelece esse processo de divulgação sobre sua opinião, provavelmente, tem a intenção de persuadir o outro a concordar com seu ponto de vista. Assim, há condições de afinidades ou acolhimento de grupo.

Entenda. Todos somos suscetíveis a aprovação. Por isso, quando somos provocados a assumir determinado ponto de vista, estamos também buscando certa lógica para a existência de seus valores em detrimento do contraditório.

Ao emitirmos opinião, também entendemos que temos identidades significativas para a complexa figura que fazemos sobre nós mesmos e que também fundamenta nossa autoestima. Defender as ideias que você tem diante o contraditório pode também ser estimulada pela vontade de se perceber protagonista de uma crença.

Cremos que estamos certos. Cremos que estamos ao lado da verdade. A verdade é uma certeza plena sobre determinada coisa. Isso, inclusive, constitui a sua personalidade. Por isso, parece ser também bastante lógico, defender aquilo que faz parte de você, ou seja, sua opinião.


O voto secreto garante a proteção do cidadão de ter liberdade sobre sua opinião

Caso você ainda não perceba a relevância desta discussão sobre a expressão em voga, vale a pena lembrar de certos preceitos constitucionais como o direito do voto secreto pelo cidadão.

O ato de divulgar opiniões é tão delicado que há sempre aqueles que pagam pela divulgação de sua opinião. Como o YouTuber Cocielo enfrentou, recentemente, a consequência sobre um twitter divulgado, levando em consideração o contexto conflituoso entre a piada, a brincadeira e o racismo.

Ainda que se compreenda no futuro a ingenuidade do YouTuber sobre sua atitude na rede social, a justiça deixou claro que vale brincadeiras ou piadas, desde que não configure contexto depreciativo sobre preconceito, racismo ou qualquer outro valor negativo que fira indivíduos.

Mas opinião é um direito. Portanto, como compreender os limites deste direito constitucional?

Bom senso, sensibilidade e responsabilidade são ótimos valores para se caracterizar como uma peneira conceitual sobre o que é ou não é pertinente divulgar.

Dentro desta polêmica não se discute o caráter da opinião, mas o direito de ter divulgado isso num canal de comunicação público feito por uma pessoa de alto poder de influência social.


Ainda vivemos a turbulência política dentro do Brasil

Claro que hoje há discursos abrandados pelo resultado das eleições 2018. Enquanto havia disputa sobre o pleito, ainda havia exacerbada polarização. Agora, ainda bem, o processo é focado sobre a realização das promessas de ambos os protagonistas eleitos.

Ordens à parte, agora é hora de compreender cada vez mais o nosso direito de compartilhar a opinião alheia para o debate sadio e evolutivo. Por isso, é importante entender porque essa expressão é tão evocada diante o conflito de ideias.

Essa é a minha opinião é um reforço de discurso para sustentar pontos de vistas superficiais ou de fácil desconstrução. Este tipo de comunicação passa pelo campo do discurso, entendendo a capacidade de articulação do interlocutor em sustentar sua opinião.


Opinião deve ser sempre um direito defendido por todos

Se você ainda não compreender o propósito da comunidade Estado Cidadão, vale a pena reforçar aqui. Este canal se tornou real a partir do momento que não existia um ambiente capaz de dar liberdade a opiniões diversas.

Alerta aos produtores de conteúdo:

Se você tem a missão de construir conteúdo com regularidade, cuidado para não exercer o direito de opinar sobre temas relevantes para a sua audiência. Assim, você poderá, de alguma forma, usar estratégias de marketing de conteúdo com poder de inversão sobre seus objetivos de crescimento exponencial. Por isso, fazer conteúdo é de caráter responsável. 

Claro que há aqui uma maior tendência sobre ideias, mas o ambiente será melhor aproveitado para o debate e promover a diversidade de pensamento quando as pessoas de diferentes ideologias construírem o habito de se expressar produzindo conteúdo qualificado, respeitoso e bastante fundamentado.

Caso contrário, continuaremos ouvindo que Essa é a minha opinião.

Estado Cidadão
Rafael Cardoso
Rafael Cardoso Seguir

Um cidadão que deixou de ser passivo para trazer luz e ambiente à discussão social e político.

Ler conteúdo completo
Indicados para você