[ editar artigo]

Debate da BAND TV para o governo do Estado do Paraná deixou a desejar em tudo

Debate da BAND TV para o governo do Estado do Paraná deixou a desejar em tudo

A primeira chance que os candidatos ao pleito de governador do Estado do Paraná tiveram para mostrar suas propostas e divergências ficou abaixo das expectativas dos próprios eleitores. Mesmo demonstrando debate pobre sobre os aspectos urgenciais apontados pelos eleitores, tal como segurança pública, acesso à saúde, reforma tributária e políticas anti-corrupção, a falta deste debate não chegou perto da falta de qualidade da transmissão que a Band Paraná produziu.

Produção do canal ficou abaixo dos streaming players que jogam games

O debate da BAND TV demonstrou que ainda precisamos evoluir muito sob a perspectiva de acesso à informação. A transmissão da Band Paraná ficou aquém até mesmo das qualidades vigentes em transmissões de adolescentes que brincam de produtores de conteúdo usando gameplay dentro dos seus quartos e ambientes domésticos.

Além disso, pouco se mostrou dominante de princípios estéticos e de comunicação, inclusive com a inserção de legendas que identificassem os próprios candidatos. Como o espectador poderá compreender quem é a pessoa que faz o debate sem expressão da grande mídia? Opa! Tem legenda sim... Opa, tem legenda não...

A BAND PR também conseguiu fatiar a transmissão do debate, tal como se estivesse editando aquilo que deveria ser visto ou não. Porém, entendo que esta seja mais uma falha da precária transmissão para a internet. Pena que haja ainda tanto a se aprender neste aspecto.

A transmissão comprometeu o acesso ao internauta e isso é evidente se comparado com a versão paulista do mesmo canal. A transmissão via internet bem mais estável trouxe uma interatividade bem mais visível. Outro ponto que se destaca neste contexto é a vitrine que os paulistas têm dentro das mídias de massa com expressão nacional, diferente do que acontece no âmbito paranaense. É possível que os paranaenses saibam mais sobre os candidatos ao governo de São Paulo do que no Paraná. 

Outro ponto bastante difícil de compreender foi a falta de sensibilidade por parte da organização do debate simplesmente cortando o microfone dos candidatos sem deixar meramente a finalização da informação construída, diferente do que aconteceu no debate da BAND dos presidenciáveis. Ricardo Boichart era cordial e bastante respeitoso neste aspecto.

O empobrecimento e descolamento da realidade do debate

No entanto, devemos focar no conteúdo, não é mesmo?  Cida Borghetti (PP)Doutor Rosinha (PT)João Arruda (MDB)Professor Piva (PSol)Ratinho Jr. (PSD) e Ogier Buchi (PSL) foram os candidatos que participaram do debate da BAND Paraná na noite de 16 de agosto. Como a transmissão via internet estava bastante comprometida, pouco houve de manifestação por parte dos internautas, restringindo a interação de forma sensível.

Destaque sutis nas eleições 2018 para o Paraná

Um destaque faz justiça ao candidato do PSOL que destacou a falta de delegacia das mulheres no Estado do Paraná. Infelizmente, o Paraná é um dos Estados mais violentos contra a mulher. Os índices de feminicídio demonstram que Curitiba é uma das capitais mais violentas sem combate significativo à violência doméstica contra a mulher. Falamos disso neste broadcast do Estado Cidadão com a ex-secretária da Secretaria da Mulher pela Prefeitura de Curitiba, Roseli Isidoro.

Pena que o destaque acabou aí. Piva demonstrou pouco preparo até para encaixar perguntas propositivas ou críticas referindo apenas os equívocos ao qual enxerga como "maldades". Aí fica pobre de se criar um juízo de valor, não é mesmo?

Segurança Pública é discutida de forma rasa

Todos dizem querer outras políticas de segurança pública, mas pouco trazem de propostas práticas. A maioria bateu no pouco reconhecimento dos policiais com baixos salários e pouca inteligência nas investigações.

Segundo Ogier Buck, a polícia tem que descer o cacete no lombo do vagabundo. Resta saber de que vagabundo ele está se referindo.

Este tipo de afirmação mostra o processo raso que todos estão construindo em seus argumentos que abordam o estilo subjetivo. Não se dá pontualidade e coerência sobre aquilo que desejam propor como proposta concreta. Tal como o candidato citado aqui, descer o cacete é repetir o eco despreocupado das ruas e dos botecos. Obviamente, quem deseja assumir cargos como protagonista da ação, não pode fazer este tipo de comentário.


Aqui não tem isso, aqui é raiz, eu sou raiz, eu sou você, indignado com tudo que aí está.

Ogier Buck


A dificuldade de se ter profundidade com projetos assertivos ficou a cargo dos dois candidatos mais relevantes da disputa. No entanto, mais uma vez Ratinho Junior demonstrou que tem a consciência sobre uma candidatura bastante sólida. Não há adversários para a construção política que Ratinho fez. Nem mesmo a máquina governamental de Cida consegue ofuscar a liderança de Ratinho no próprio debate, apesar de também acompanhar os outros na dificuldade de se apontar efetivamente propostas concretas.

 

Estado Cidadão
Rafael Cardoso
Rafael Cardoso Seguir

Um cidadão que deixou de ser passivo para trazer luz e ambiente à discussão social e político.

Ler conteúdo completo
Indicados para você